Principais incentivos fiscais para startups

Para reduzir a carga tributária é importante considerar um planejamento tributário e empresarial em curto e longo prazo, principalmente no Brasil, que é um dos países que mais tributa empresas no mundo.

Em outro post falei para vocês sobre os principais desafios tributários de uma startup, mas vocês saibam quais são os incentivos fiscais que elas podem contar?

Através de determinados incentivos fiscais se torna possível redirecionar parte do faturamento para áreas de interesse do poder público. Desta forma, é quase como se a empresa decidisse o melhor destino para os seus tributos.

Existem algumas leis que podem ajudar empresas e startups a terem maior eficiência fsical, tudo dentro da lei. São elas:

– Lei do Bem: essa lei beneficia as empresas que investem em pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I), podendo ser aplicada também para as startups, que podem se valer de benefícios como: dedução dos investimentos em PD&I do IRPJ e CSLL; redução de IPI na compra de máquinas e equipamentos destinados à PD&I; depreciação integral e amortização acelerada, dentre outros.

– Lei da Informática: é aplicável às empresas que desenvolvem atividades de desenvolvimento ou produção de bens de tecnologias da informação e comunicação que investem em PD&I, podendo usufruir de crédito financeiro decorrente do dispêndio mínimo efetivamente aplicado nessas atividades.

Vale lembrar que participar desses incentivos não é tão simples e direto, cada um deles tem suas regras e condições que devem ser respeitadas. Por isso, o ideal é que você consulte um advogado tributarista e entenda todas as possibilidades de incentivos que a sua empresa pode ter.

Se ainda ficou alguma dúvida sobre esse assunto, comentem aqui abaixo.

O que falta para você se tornar um TaxLaber?