Medidas tributárias do Marco Legal das Startups

O Marco Legal das Startups trouxe uma série de medidas tributárias visando incentivar a criação e o crescimento das startups, com diversos tratamentos fiscais mais vantajosos e a redução de algumas burocracias.

 

– Estabelece regime de tributação especial de startups, com alíquotas que serão definidas em regulamento específico;

 

– Permite a adesão ao Simples para as startups: (i) enquadradas como S/A; (ii) de cujo capital social participe outra pessoa jurídica; (iii) que possuem sócio domiciliado no exterior;

 

– Estabelece que as startups do Simples Nacional possam deduzir de sua base de cálculo até 60% dos dispêndios em pesquisa, desenvolvimento e inovação, podendo chegar a 80% em função de número em empregados pesquisadores;

 

– Permite que as MEs e EPPs, assim como as startups, enquadradas no Simples Nacional, possam emitir títulos mobiliários, nos termos da Lei das S/A, sendo que o rendimento de tais títulos serão isentos de imposto de renda e de IOF;

 

– Permite remuneração por plano de opção de compra de ações (stock options), com dedutibilidade de impostos;

 

– Define alíquotas regressivas do IRRF para os rendimentos de aportes de capital em startups, de 12,5% para investimentos com prazo de 180 dias, declinando a até 0% para os contratos de participação com prazo superior a 1.800 dias;

 

– Permite a dedução do IRPF, ou do IRPJ de pessoas jurídicas tributadas com base no lucro real, dos valores despendidos em patrocínio ou doação às startups.

 

Quer saber mais? Conheça nosso Curso de Tributação de Startups!

O que falta para você se tornar um TaxLaber?